Endometrioma: cistos de endometriose no ovário

Endometrioma são cistos de endometriose no ovário. Esses cistos têm um conteúdo achocolatado e podem ser chamados de cistos de chocolate. Pacientes com endometriose no estado avançado normalmente podem ter esses endometriomas que alteram a reserva folicular da mulher e com isso diminuir sua reserva ovariana. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com a Dra. Juliana Amato (CRM 106072).

Miomas: tumores benignos causados por disfunções hormonais

Miomas uterinos são tumores benignos que aparecem de 20 a 40% das mulheres em idade reprodutiva. Eles acontecem mais entre as idades de 30 a 50 anos, e podem ser afetadas por disfunções hormonais e de origem genética. Os miomas uterinos estão associados com o aumento do crescimento do útero, aumento do fluxo menstrual e pode estar relacionado a infertilidade. Assista ao vídeo e saiba as regiões que podem ser afetadas pelos miomas com a Dra. Juliana Amato (CRM 106072).

Cirurgia Bariátrica: opção de tratamento contra obesidade

A cirurgia bariátrica é uma opção de tratamento para a obesidade e os pacientes têm muitas dúvidas sobre quando ela está indicada. A recomendação é baseada no índice de massa corpórea (IMC) que é um cálculo que utiliza a altura e o peso, pacientes com IMC maior ou igual a 40 ou entre 35 e 40 que apresentam quadros de diabetes, hipertensão, colesterol elevado, têm indicação de cirurgia bariátrica. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com a Dra. Lorena Amato (CRM 141594).

Puberdade precoce: o que é?

A puberdade é considerada precoce quando ocorre antes dos 8 anos nas meninas e antes dos 9 anos nos meninos, e isso tem sido cada vez mais frequente. Essa antecipação pode estar sendo causada pela exposição das crianças aos desruptores endócrinos, que são substâncias que desregulam o sistema hormonal. Assista ao vídeo e saiba mais com a Dra. Lorena Amato (CRM 141594).

Aplicação de anticoagulante: tratamento para trombofilia e trombose

Várias pessoas precisam usar anticoagulante por diversos motivos, entre eles, gestantes e pacientes com trombofilia e trombose. A técnica de aplicação, ou de autoaplicação, é muito importante, e deve ser feita de maneira subcutânea se for realizada pelo paciente. A melhor região para a aplicação é a abdominal, além de ser primordial a limpeza da área antes da injeção de anticoagulante. Assista ao vídeo e saiba mais com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Úlceras: causas e cuidados

Úlceras são feridas de longas durações de várias causas, as venosas são as mais frequentes. As orientações podem variar conforme o paciente e o médico que estiver atendendo, mas basicamente os cuidados locais da úlcera venosa é deixa-la sempre limpa para evitar infecções. Assista ao vídeo e saiba mais com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Dermatite Ocre: manchas nas pernas

Dermatite Ocre são manchas de tonalidade mostarda, que surgem nas pernas ocasionadas pela insuficiência venosa. Essa insuficiência acaba causando uma hipertensão nas veias resultando no extravasamento do conteúdo do sangue para o subcutâneo desse paciente. Assista ao vídeo e conheça mais detalhes com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Embolia de miomas: tumores não malignos no útero

Os miomas são tumores não malignos que nascem na parede do útero. Eles podem causar diversos sintomas que podem variar desde sangramento menstrual exagerado, dor abdominal, entre outras dores que abrangem muitas das queixas femininas. Assista ao vídeo e saiba como eles podem ser tratados com o Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651).

Mama Tuberosa: alteração no desenvolvimento da mama

A Mama Tuberosa é uma alteração no desenvolvimento da mama, que faz com que a mama fique menor em sua base, e com uma aréola mais alargada. A correção pode ser feita por colocação de implante mamário, protese de mama, e estar associada ou não a enxerto de gordura. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com o Dr. Fernando Amato (CRM 133826).

Assimetria Mamária: A diferença entre as mamas

A Assimetria Mamária é a diferença entre as mamas seja no tamanho, formato ou posição. O tratamento varia em cada caso, podendo ser fito mamoplastia e mastopexia, com ou sem implantes mamários. Assista ao vídeo e veja mais detalhes com o Dr. Fernando Amato (CRM 133826).

–transcrição–
A assimetria mamária é a diferença do tamanho entre as mamas. Essa diferença pode ser bem discreta e ela é muito frequente. Pode ocorrer quase que em todas as mulheres, pelo menos com alguma assimetria, e que é aceitável.
Essa assimetria pode estar associada até a uma alteração na postura da paciente ou a alguma doença da coluna, como a escoliose.
Pequenas diferenças são aceitáveis, mas dependendo do caso pode interferir na qualidade de vida da paciente ou até mesmo gerar uma postura errada levando-a até a ter dor nas costas, dor na coluna.
Essa assimetria pode se apresentar de diversas formas, tendo algumas classificações, sendo uma delas a tipo 1, quando um lado só é pequeno. Tem a tipo 2, quando os dois lados são pequenos, porém um é menor do que outro. Pode apresentar com uma hipertrofia, ou seja, um lado ser muito grande e, por isso, precisar até fazer uma redução mamária, que pode ser a hipertrofia unilateral, ou seja, de um lado só.
Também pode ocorrer essa hipertrofia dos dois lados com uma diferença bem grande. Além disso, pode ter uma hipomastia, ou seja, um lado não desenvolvido e um lado muito desenvolvido e, em casos raros, pode apresentar uma hipomastia, ou seja, uma mama pequena com certa deformidade na parede torácica.
O tratamento vai variar de acordo com cada caso. Então nos casos em que a mama é pequena, pode ser feito só com prótese, pode ser feito enxerto de gordura, e em mamas grandes pode ser feita a redução de mama, a mamoplastia, e tem os casos que precisam fazer o reposicionamento da aureola, que é a mastopexia. E essa mastopexia pode ser feita com ou sem a prótese de mama, o implante mamário.
A tecnologia atual permite que seja possível prever um resultado ou pelo menos prever um volume por meio de simulações 3D e eu acredito que esse seja o futuro, poder utilizar da tecnologia para auxiliar nessa correção de volume entre as mamas.
Gostou do nosso vídeo? Acompanhe na nossa rede social.